À margem das traduções

Enquanto escrevia a postagem anterior, sobre os erros que encontrei na tradução de “Retrato do Artista Quando Jovem” feita por José Geraldo Vieira, descobri que na década de 1940 um sujeito fazia trabalho semelhante. Em coluna semanal para o Diário de Notícias, do Rio de Janeiro, Agenor Soares de Moura expunha, corrigia e explicava os erros que encontrava em traduções de literatura, filosofia, história. Seus artigos foram reunidos e publicados em 2003, no livro intitulado “À margem das traduções” (mesmo nome de sua coluna no jornal), pela editora Arx. O trecho que vai na imagem é um exemplo do trabalho desse crítico de traduções que, apesar de duro, era bastante didático e bem-humorado.

Blog no WordPress.com.

Acima ↑